terça-feira, 30 de junho de 2009

Irritações

Será do trabalho que me atira para a cama às duas da manhã ou pelo facto de estar em frente a um PC durante 10 horas seguidas? Estes dias dei por mim a resmungar, porque alguém ao meu lado estava a comer feito animal ruminante. Tipo girafa. Foi o animal que me veio à cabeça. Que é só das coisas mais irritantes que me podem fazer quando estou com a neura. É ver-me a fumegar e a tentar arranjar formas de aniquilar aquele som.

Eu sei. Preciso de férias outra vez!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson - The King of Pop


Há uma miscelânea de sentimentos face a esta notícia da morte de Michael Jackson. Por um lado é o cantor da minha infância, da Thriller e da Billie Jean e daquela dança cheia de pinta com os pés, que eu tentava imitar quando era miúda, mas nunca saía bem. As músicas de Jackson atravessam gerações. Estou a recordar algumas delas agora. Tal como eu, milhões de pessoas em todo o mundo estão neste momento a bater o pezinho e a trautear as suas canções. Haverá melhor forma de recordar Jackson do que esta?



Do outro lado, é um homem que necessitou de mudar a cor da pele para se afirmar. Ridículo e mostruoso, todos nós pensamos. Para além do mais, ficou associado nos últimos anos a casos de pedofilia. Não é que eu acreditasse, o senhor mal se conseguia movimentar com aquelas plásticas e bizarrices todas. Era aquilo que eu chamo de animal exótico não identificado.

Para a posteridade fica apenas a sua música e o seu estilo inconfundível.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Berlusconi, o Conquistador



E agora, algo completamente diferente vindo deste homem. Preparem-se!

Nunca paguei por uma mulher", disse Berlusconi. E acrescenta "Nunca entendi que
outra satisfação pode haver senão a de conquistar (uma mulher)".
P.S - Só vou ali e já venho, mas não precisam de esperar por mim. Não se incomodem. A sério! Fiquem com as palavras sinceras de Berlusconi.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Aqui pra vocês...

Antes que este blog comece a cheirar a mofo, e porque hoje vou andar feliz da vida a dar marteladas, aqui vão dois videoclips altamente recomendáveis. Passam este ano pelo Curtas de Vila do Conde e provam que a imagem pode salvar uma música que à partida estava condenada.




segunda-feira, 22 de junho de 2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Devo-te uma canção de amor!

Aviso à navegação. Eu hoje estou mais de ouvir do que falar ou escrever. A verdade é que são duas da madrugada, hoje fiz mais de 100km, e começo a não ter paciência para diletantes como eu. No entanto, confesso-me aqui momentaneamente apaixonada por esta música. Já sei que há-de passar e que mais tardar, no prazo de três dias já enjooei. Eu sou assim. Oiço. Oiço. Oiço até à exaustão. Faço isso com muitas coisas da minha vida. Feliz ou infelizmente.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Verdades absolutas

«Esquecemo-nos do que queríamos recordar e recordamos o que queríamos esquecer»




Cormac McCarthy em “A estrada”

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Sardinia outra vez




Fico um pouco assustada com esta notícia. Cristiano Ronaldo foi passar férias à Sardenha. Ora, eu estive nessa ilha há poucas semanas e a possibilidade de me cruzar com este rapazinho depilado da cabeça aos pés, já para não falar da indumentária, bezuntado de óleos, com florzinha nos cabelos e a exibir a sua sensualidade pacóvia, deixa-me desagradada. Ligeiramente enojada até. No entanto, conheço pessoas que davam tudo para ver o craque à frente...e não são poucas. Tento perceber, mas não consigo. Deixem-me viver na ignorância!

P.S - Correcção: onde se lê "pessoas que davam tudo para ver o craque à frente", deve ler-se "pessoas que não fechavam a porta ao craque, se ele quisesse entrar".

Tenho dito.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Estados de espírito!



Ela tem 54 anos. Ele ronda os 60 e tais. Ela planeava acabar os dias sozinha. Ele, idem. Ela vivia unicamente para a família e para o trabalho. Ele para o que lhe restava. E um dia conheceram-se. Deixaram para trás os fantasmas e hoje, vivem um para o outro. Ele faz tudo por ela. E ela dá tudo por ele, contra tudo e contra todos! No meio dos olhares cúmplices, da voz embargada pela felicidade, dos telefonemas em que se diz tudo e nada se diz, dos passeios ao domingo, das longas conversas no sofá, constroem o futuro que será longo e menos cinzento.

Juntos encontraram a cura para a vida: o Amor!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Tudo por amor ao Futebol!

Dizem que as primeiras guerras da humanidade foram entre irmãos. E que mais tarde nasceu o jogo para evitá-las, imitando-as publicamente. É uma pena que nos nossos dias se confunda a guerra com o jogo, e o jogo com a guerra, especialmente entre irmãos. Mas as guerras entre irmãos, já todos sabemos! Passados dez minutos, se for preciso, está tudo bem.


Rudo Y Cursi é um filme com uma mensagem bonita, não fosse o realizador Carlos Cuarón. Até porque, meus amigos, é preciso entender a filosofia das quatro linhas.

P. S - Ouvir o bonitão do Gael García Bernal cantar também é um fartote! A verdadeira moca!


terça-feira, 9 de junho de 2009

...Avec Garrel

Louis Garrel entrou esta semana para o meu lote de homens "interessantes", aos mais diversos níveis. E eu que até nem gostava de franceses, lá tive de dar a mão à palmatória, desta vez. Ora, Garrel é o protagonista do filme Les Chansons D'Amour. Um filme centrado sobretudo numa relação a três, que depois passa a dois e termina numa relação gay. Trágico-Hilariante. Um ménage à trois que ficou muito aquém das minhas expectativas, dado o potencial e talento deste rapaz.







sexta-feira, 5 de junho de 2009

Generation sex

Eu e esta música temos muita afinidade.

Obrigatoriedade do voto

É estranho. Muito estranho. Quanto mais sobrecarregada de trabalho estou, mais vontade tenho de passar por cá e mandar os meus bitaites. Isto num dia, em que chego a casa do trabalho por volta da meia-noite e imaginem só, vou estar aqui a dissertar sobre a obrigatoriedade do voto. Mas serei breve.Tudo isto para dizer, que não sou a favor do voto obrigatório. Aliás, tenho vindo a desenvolver a teoria de que a malta que opta pela abstenção está-se nas tintas para a política e para muitas outras coisas. Logo, o voto não seria consciente ou então, em branco. Portanto, fiquem lá quietinhos, mas se precisarem de um aconselhamento eu estarei aqui. Sempre pronta a encaminhar essas almas perdidas.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Trabalho non-stop

Ando num frenesim. Sem tempo para respirar. Sem tempo para dar atenção às pessoas. Sem tempo para quase nada, mas ainda me resta algum para o vício das postas. E a partir de hoje, vejam só, passo a dividir o meu local de trabalho e almoços com duas turcas, uma francesa, uma italiana e uma letã. Vai para aqui uma salgalhada de nacionalidades que só visto! Parafraseando alguém..."Temos de ser duros". Olarilas!

P.S - Como é notório, continuamos com défice de presenças masculinas.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Piano, piano

O trabalho começa já daqui a algumas horas e com ele a rotina e todas as chatices em semana de eleições. Confesso que ainda estou na ressaca da viagem. Ainda bué relax, na descontra, em plena sintonia com a vida.

De Itália trouxe estas boas vibrações. A alegria dos italianos contagia. Faz-nos bem. Farta de cinzentismos ando eu. E o povo português é especialista nesta matéria. É tudo uma questão cultural. Quem sabe. Ora eu, que nem sou muito de acreditar em signos, devo reconhecer que o meu acertou na muche. Eu adoro viajar. A viagem no seu todo é algo fascinante e de descoberta pessoal.

Agora vou tirar esta "capa" séria. Italianos. Rapazes. Demasiado aperaltados para o meu gosto. ora é a camisa muito justa, ora é a pulseira demasiado cintilante ou o corte de cabelo personalizado. No me piace ragazzi. Contudo, há umas espécimes interessantes. Não vou negar à partida uma ciência que eu não experimentei. Fica para uma segunda oportunidade.

Podia estar agora a falar do clima (maravilhoso), das praias de azul turquesa, das ruas de esquadria, das pizzas e pastas divinais, dos cappuccinos pela manhã, do andar descontraído pelas ruas, do telemóvel que fica em casa sem qualquer remorso, do hábito assassino dos italianos em não parar nas passadeiras, mas iria ser maçadora. Itália é para ser vivida assim...piano, piano...